Arquivo Mensal: Março 2013

sal

Eu nunca me cansei do mar. O eterno avanço e recuo me levam e me trazem com a fome de pensar e repensar, de partir e voltar, de ter e soltar. Nas minhas horas malsãs é com o sal que me curo. Na comemoração de grandes alegrias brindo com espuma. No ritmo das ondas, no batuque do mar eu sinto meu corpo, o pulsar da …

quimeras mil

Tempo atrás o diabo me visitou. Sedutor, tratou de fazer graça, jogar charme, preparar terreno. Trouxe flores, cantou a mais bonita das músicas, me tirou pra dançar. Preparou drinks, fez comidinhas e me desafiou para misterioso jogo.   O fascínio desta visita é o perigo, o risco, a corda bamba. O diabo não gosta de certezas, não inspira confiança, emite prazo de validade para as …

o bom da vida vai prosseguir

A primeira notícia que vi no jornal hoje cedinho dava conta do coma irreversível de Dominguinhos.  Eu tive a sorte, a grande sorte, de conhecê-lo e de me tornar sua amiga e, mais que isso, de tê-lo como amigo. Muitas vezes o recebi em minha casa; tive a honra de dividir café da manhã, almoço e jantar; pude partilhá-lo com minha família; ouvi seus conselhos, …

você tem medo de quê?

Eu tenho muitos medos! Medo de aranha, do escuro e da falta de grana Medo de assalto, de tristeza sem fim e de lugares pequenos Tenho medo de ficar doente, de magoar pessoas, de engasgar Medo que me machuquem, de escorregar, de cortar o cabelo Tenho medo de multidões, de água gelada, de andar descalça…   Tenho um milhão de medos, mas me acompanha, desde …

a arte da reversão

Aos quatro anos aprendi a amarrar meus cadarços.   Minha vida mudou!   Variações da mesma habilidade me servem até hoje para prender laço no cabelo, fechar cintura da saia, segurar biquíni, guardar o carregador do telefone, iniciar costura, fabricar penduricalhos, moldar fitas, ajeitar gravata, fabricar buquês, fingir de marinheiro, emendar corda bamba, dar nó em pingo d’água…   O que eu ainda não sei …

Pin It on Pinterest