saúde Arquivo

exercício de escrita no hospital

é madrugada e estou na emergência de um hospital. longos corredores, faixa pintada no chão e silêncio de uma ala inabitada me fazem pensar em coisas. às vezes penso em algumas cores também. mas o que me ocupa mesmo são as coisas. embora sejam concretas, chegam de uma forma muito divagante se penso numa cadeira, por exemplo, ela flutua, abstrata e um pouco azulada no …

a renúnica do prazer

Renunciar ao amor parecia-me tão insensato como desinteressarmo-nos da saúde porque acreditamos na eternidade. – Simone de Beauvoir renunciar ao prazer é empresa das mais difíceis. largar a cama num escurinho com chuva, chegar ao final da feira, sair do mar quando o sol está bem forte, se desenrolar dos braços do amado, desligar o telefone no melhor da conversa… sou pessoa dada aos prazeres. …

sofrimento

quando declarei independência dos meus pais, ainda era muito menina. mas queria saber das minhas próprias decisões, trilhar caminho, tratar da vida. fiz isso em todos os sentidos. o mais gritante para todos foi o financeiro. guria que vivia com as benesses da mesada no corredor calmo e estruturado do Batel, fui para Vila Ouro Verde, uma favela lá no Uberaba com todos os problemas …

projeto verão 2027

tá ligado naquele lance de caminhar no parque? então, com uns 25 anos de atraso, comecei hoje. porque nem tudo nessa vida está perdido, há gente em que se pode confiar. a Vera promete, a Vera cumpre: 7 da madrugada estava aqui na frente do prédio, bonitona como só ela… óculos, brincos, classe. eita mulher que consegue ostentar beleza em qualquer situação! antes de encontrá-la …

entre a salvação e a perdição

Sim, eu sei, tenho tendências ao drama. Desde sempre. É um drama autêntico, sincero, uma coisa que me pega no contrapé e quando vejo já estou estirada no sofá, mão direita tampando os olhos, lágrimas escorrendo e soluços desenfreados por ter lido uma desgraça no jornal ou por não ter recebido telefonema esperado ou por pensar nas pessoas que estão internadas no hospital aqui da …

os alquimistas estão chegando

ilhada em casa, onde o mundo me chega nos mais variados formatos, recebo dois vidrinhos. iguaizinhos, gêmeos. o rótulo me é de impossível compreensão. procuro os óculos, a lupa e continuo lerdaça com o nome: Óleo de Sucupira. desconhecimento. achei que não podia ser coisa de comer, porque geralmente as coisas de comer, ou de colocar na comida, têm embalagens maiores, melhores, cheias de pensamentos …

pedras do caminho

veja como são as coisas. na verdade, tenho certeza que você já sabe como elas são, mesmo assim quero contar. preciso fazer biópsia. muito bem. depois de papo de hora e meia com o cirurgião, saí do consultório com as obrigações dividias. as dele: reunir equipe, reservar data no hospital e me avisar. as minhas: conseguir uns carimbos do plano de saúde, uma pequena quantia …

e o pulso ainda pulsa

Poucas vezes pisei doente. Aprendi a conhecer o corpo e dar água ou chá ou gelo quando ele me conta seus sinais. Mais não sei.  Já recorri a médico: emergências noturnas, paradas vespertinas ou convencionalidades matinais.   Também me tratei com curandeiros, benzedeiras, feiticeiras, simpatias e bruxarias.  Para cada tipo de ziquizira uma comidinha diferente: sopa, água e sal, purê, sorvete… Observei algumas coisas: corpo …

Pin It on Pinterest