Arquivo Mensal: Maio 2015

treino

é a voz do mar que sinto agora e todo o seu barulho explode em meu ouvido como se fosse um tiro um grito, um último pedido o hálito da praia despenca em mim arromba portas invade as paredes quebra vidraças corre como raio me prende e me impede neste quarto onde o mar me habita me deito e me dispo espero.

na boca da noite

do lado esquerdo de onde estou, que não sei falar na precisão dos cardeais, faz uma noite muito negra, cravejada de diamantes celestes. agora pouco, um se jogou suicida. não tive tempo de fazer pedido, aquele que a gente guarda para esse tipo de momento. de qualquer maneira, uma estrela cadente deve ser indiferente o bastante para que meus anseios continuem. faz frio e o …

no ar

não sou um tipo muito covarde. tenho uns medos, só isso. coisa normal, como os outros sete bilhões e os outros não sei quantos que vieram antes da gente. o medo comedido protege. é inteligente temer algumas coisas. pronto. não preciso me expandir sobre isso, lugar comum dos conhecimentos psico-botecais. avião: tenho alguma insegurança, um receio por estar infringindo uma lei natural, um desconforto por não …

coroa e cara – na casa dos 40 anos

“Os 40 anos são uma idade terrível. É a idade em que nos tornamos naquilo que somos.” (Charles Péguy) pergunto, você sabe o que é elipse? procure aí na gramática mais próxima e siga comigo. “a vida começa aos quarenta”. sim, começa. a piorar, a degringolar, a descer ladeira. normalmente as pessoas preferem não tascar o que falta nessa frase porque é muita decadência num …

aliquid pro aliquo

a chuva caiu de umas nuvens muito brancas que amanheceram no dia de hoje. quando acordei senti os pingos a molhar a rua, me apareceram na cor das cortinas, os ouvi no barulho dos pneus dos carros. gosto quando a segunda-feira começa assim. não sei explicar, mas é espécie de namoro com a cama e por mais que eu tenha que largá-la na primeira hora, …

tédio

Atenção: Essa vida contém cenas explícitas de tédio, nos intervalos da emoção. (Alice Ruiz) para espantar essa pasmaceira que me desce pelos ombros, escorre pelas pernas e vira nada no dedão do pé, resolvi ir ao mercado a pé. esperança que alguma coisa extraordinária me acontecesse e pudesse narrar aqui em tom de humor ou de melancolia, tanto faz. pensei que no caminho poderia ver …

marido de aluguel

tenho um marido. ele é temporário, aparece e desaparece num estalar de dedos. cobra pelas visitas. quem me apresentou o dito cujo, em outros carnavais, foi a Renata, que também aproveita de seus serviços. nessa semana que passou, decerto inspirada pelas obras no prédio, fiz uma lista imensa de pequenas coisas que precisavam de atenção aqui em casa. a vistoria começou na área de serviço …

obra na garagem – 2

acordei com o fim do mundo, fiquei tão assustada com o furdunço que achei que a única providência era me enfiar no roupão e sair. ainda tive tempo de pensar que não seria nada bom continuar com um pé de meia amarelo e outro azul e fui procurar par gêmeo. no meio do caminho, sonada, entendi: depois de mais de dez dias parada, a obra …

recomendações

não se machuque, meu amor não deixe que o mundo te fira que as curvas te enganem que a paixão te sufoque meu amor, acorde e olhe em volta aprecie a vista solte os cintos e se jogue não sofra, meu amor largue os pesos esqueça o passado deixe que tudo se renove é na leveza que o amor se faz na fruição da carne …

Pin It on Pinterest