os alquimistas estão chegando

ilhada em casa, onde o mundo me chega nos mais variados formatos, recebo dois vidrinhos. iguaizinhos, gêmeos.
o rótulo me é de impossível compreensão. procuro os óculos, a lupa e continuo lerdaça com o nome: Óleo de Sucupira.
desconhecimento.
achei que não podia ser coisa de comer, porque geralmente as coisas de comer, ou de colocar na comida, têm embalagens maiores, melhores, cheias de pensamentos publicitários e seduções de olhar.
quem me enviou o presente, também não fez comentários, obviamente não contava com minha ignorância nos assuntos químicos.
sem querer confessar minha rudeza fui buscar esclarecimento nas fontes que costumo consultar para assuntos zombeteiros. o Macaco Simão não tinha nada sobre isso, já o Google, milhares e milhares de resultados.
encontrei, sem procurar, um elixir mágico. coisa de deixar Paulo Coelho no chinelo. lance sério, duvido que tenha alquimista capaz de desenvolver fórmula com gradiente tão amplo.
acompanhe.
o pequeno milagroso é útil no combate de (leia rápido): úlcera, gastrite, ácido úrico, aftas, amidalite, artrite, artrose, asma, blenorragia, dermatoses, dor espasmódica, diabete, impotência, ronquidão, sífilis, hemorragias, vermes intestinais, além disso, é anticancerígeno e combate as inflamações no útero e no ovário.
no lo creo!
fiz nova busca. o outro resultado da pesquisa confirmou esses e me apresentou outros benefícios: combate dores reumáticas, contém beta-cariofileno, substância química com atividade antiinflamatória, antibiótica, antioxidante, anticarcinogênico e anestésico local.
continuei e encontrei a explicação. tudo isso se dá, claro!, por conta dos flavonoides, cumarinas, saponinas, triterpenos, esteroides e óleo essencial.
um único vidrinho e quantos benefícios!
mais fácil que um filé de salmão, uma colher de linhaça ou uma tascada de Becel no pão.
mais simples que uma consulta ao endócrino, uma passada na farmácia ou uma cirurgia de amídalas.
mais barato que uma bandeja de Yakult, um mês de academia ou uma porção de açaí com granola.
as minhas dúvidas pós-revelação da salvação:
– como consumi-lo: on the rocks, copo baixo, single, double, com azeitona, bato no liquidificador com leite condensado e um pouquinho de vodka?
– paro de pagar a Unimed?
– será que tem Óleo de Sucupira em Kungälv, lugar de onde responderei em fevereiro?

multiplica, senhor!
 
 

quer comentar? não se acanhe.

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: