deleite dourado

nas voltas pela França, dessa vez com tempo mais alongado para fruir os prazeres com calma e atenção, conheci amor definitivo.
o que mais me impressionou foi a empatia, a maneira precisa como ele compreendeu minhas vontades e dedicou-se a me fazer feliz.
não sei se dei o devido valor na primeira taça, mas na medida em que o tempo passou, fui compreendendo melhor as nuances, possibilidades e verdades de estar acompanhada por tantos anos de história e sabedoria do Monsieur Louis Roederer.
o que mais me impressionou foi chegar até aqui, a essa altura do campeonato, sem sua companhia. quantos males poderiam ter sido minimizados, quantos desesperos evitados, quantas alegrias potencializadas… a vida poderia ter sido melhor.
cristal, brut, 2006. a tríade do prazer é determinante em minha vida e a partir de agora, é a receita para qualquer oscilação ou calmaria.
de hoje em diante, não vivo mais sem.

quer comentar? não se acanhe.

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: