pro samba que você me convidou

quero ir de calça jeans, camiseta e tênis. tranquila e sossegada para não pensar nesse tipo de coisa. mas recebi o alerta: mãe, você não usa calça jeans, camiseta e tênis; você está sempre de vestido. começou aí um problema gigantesco.

já tinha flertado com a situação em conversas com minha irmã e com a Mariana.

não gosto de pensar em roupas, me irrita gastar tempo com figurino. mas uma vez que o assunto proibido vem à mente está dada a largada para que ele assombre.

o preâmbulo se dá por conta da aventura que é escolher uma roupa adequada para uma noite especial. o lançamento do meu livro é uma noite especial. pelo menos pra mim. e pra minha mãe, talvez. eu queria passar esses dias com a cabeça concentrada em decorar frases bacanas, testar dedicatórias (caso alguém me peça alguma), treinar como se escreve algumas palavras corriqueiras que sempre acabo dislexicando, mas essa coisa sem cabimento que é ter que escolher uma roupa me roubou preciosos grãos de areia da ampulheta.

primeiro, para não enlouquecer em lojas dei uma boa revisada no armário. pra mim, várias opções eram válidas. todas decentes, testadas e confortáveis. tudo era vestido, vestido longo, vestido preto. quando foi que essa falta de imaginação se instalou do meu guarda-roupa?

com a derrota da primeira tentativa, recorri a peças de amigas. meus olhos se instalavam em vestidos, todos pretos e todos longos. fosse com qualquer um que me cedessem seria o mesmo que ir com um dos meus. logo, o sentido de pegar uma roupa emprestada se desfez.

contrariando todos os meus princípios fui ao shopping. obviamente meu passeio rendeu outro morador ao armário; tão longo, tão preto e tão vestido quanto todos que ali estão.

sei que não sou boa nesse tipo de coisa. e por isso mesmo corro do assunto. mas resolvi enfrentar. respirei fundo e fui a outro shopping, parece mentira, entrei na loja e a Rita Lee na caixinha de som a sussurrar:

Se Deus quiser
Um dia eu quero ser índio
Viver pelado
Pintado de verde
Num eterno domingo
Ser um bicho preguiça
Espantar turista
E tomar banho de sol”.

voto com a Rita, preferiria andar pelada, pintada de verde, tomando banho de sol num eterno domingo.

Uma resposta

  1. Cris lemos

quer comentar? não se acanhe.

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: