se essa rua fosse minha, o pé de ipê tava vivo

Você já reparou que as flores do ipê só deixam as árvores para formar tapete colorido quando chegam ao auge da cor, ao ponto máximo, ao estado maior de beleza? Por que será? Uma vez estava conversando, sobre outro assunto, com a Leila Pugnaloni e ela me disse que pensava que as pessoas eram assim… que quando chegam ao entendimento, à compreensão total, ao topo das próprias possibilidades é porque estão próximas do fim… que a vida é boba e acaba justamente no momento em que a gente começa a dar conta de sacar tudo… que a vida acaba no melhor da festa, no melhor da cor. Como a florada do ipê…
 
Será que é isso?
 
Mas comecei escrever esse post porque queria falar das cores dos ipês, da beleza deles.
 
esse ipê fica no interior de SP, numa pracinha de Batatais e foi fotografado em 2006
por Ricardo Ferreira de Paula. Lindo! Lindo! Lindo!
Desde pequena gosto de flores. As crianças geralmente não dão muita bola pra esse tipo de assunto, mas eu aprendi, quando ainda era Nãna ou Adrianinha, a olhar pro colorido e pras formas da natureza.
 
Aos 8, 9 anos tinha obsessão por rosas, roseiras. Depois margaridas (amava margaridas!). Copos de leite, azaléias e uma infinidade de flores, folhagens e árvores  que minha mãe olhava e eu imitava. Lá pelos 12, 13 virei a cabeça e vi um ipê. Desde então acompanho as floradas. A cada ano elejo um favorito, o mais bonito, o mais emocionante. O que mais conversa, alegra, enfeita e coloca a gente pra pensar.
 
A temporada está começando, mas há pés que já floriram e já se acabaram. Talvez retornem triunfantes, triunfais, ainda nesse ano, talvez não, vai saber… É sempre uma surpresinha, uma expectativa.
 
essa super maravilha fica ali na rodoviária. eu roubei a foto do blog do Nego Pessoa,
o trabalho, pra lá de espetacular, é do Dico Kremer e da Carmem Lúcia.
Mas você já reparou como as flores do ipê caem dos galhos? Elas se jogam no chão em piruetas suicidas. Chovem na calçada, se transformam. Passam a tapetes.
Eu gosto de caminhar em cima das flores. O Nego Pessoa acha que é um crime, que é feio e insensível. Eu acho lindo flutuar por ali, uma adaptação de “tu pisavas nos astros distraída…”.
 
fala sério, não é uma delícia poder andar num lugar assim?
Das pessoas que conheço, que gostam desse tipo de coisa, a Lina Faria é a que mais combina comigo, porque quando ela revela faz isso sempre do jeito que eu olho. A maneira como ela vê as flores é muito parecida com a minha. Acho que se eu fosse fotógrafa e se fotógrafa, fosse competente, seria como a Lina…
Essa foto aí de baixo é um presente dela.
 
por cima da terra, por baixo do céu, a Lina, eu e o ipê!
 

7 Comentários

quer comentar? não se acanhe.

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: