horóscopo

mergulho no mês de março. salto sem rede, mês de aniversário. nasci no último dia, o que, me faz, disseram, caminhar pelo inferno astral a partir de agora. eu nem sabia o que é inferno astral, mas parecia que seria caso de cuidado, atenção, zelo. a palavra inferno preocupa.

tenho um mês inteirinho antes de dobrar nova esquina, de amarelar um pouco mais a identidade, de procurar no espelho aquelas esperanças que foram se perdendo em tantas multiplicações de 365.

minha desaparecida certidão revelou seis e pouco da matina meu horário de nascimento. até hoje gosto de acordar cedo, primeiros pássaros, primeiros ares, primeira de áries na família. meu ascendente, a Lu me disse, é áries também e isso complica um pouco, apesar de estar descrito como “vida em estado puro”, acho bonito, inspirador, as vezes inspira dor.

tenho o sol na 12 e parece que é um pouco difícil também. outras informações que envolvem palavras como lua, vênus, saturno, casa, grau contam uma pá de coisas, tantas, que precisarei a vida toda, na feliz hipótese de morrer com 137 anos, para entender.

mesmo sendo descrente até com os astros, pelo sim pelo não, dei uma olhadinha no que os céus dizem e encontrei isso: “… a dupla regência de Marte sugere uma qualidade agressiva que lhe permite ser uma pessoa pioneira, intrépida, lutadora, que deseja conquistar seu espaço”, que pra mim parece piadinha do #diferentona.

percorri as páginas infinitas do meu mapa e tive entusiasmos com coisa que me descreveu assim: “é provavelmente um dos melhores amantes que se poderia encontrar. Vênus em Touro não é apenas muito bom de cama, como também sabe valorizar um relacionamento. E precisa, acima de tudo, da presença física do ser amado ao seu lado.”

mas nos céus, como na terra, nem tudo é bem bacaninha, está lá, estampado: “É possível, neste período, que você venha a ter que lidar com a parte mais sombria de sua própria natureza, tendo que encarar seus próprios sentimentos negativos de raiva, frustração, ressentimentos, etc. Todo ser humano tem estes sentimentos em algum momento, e encará-los demanda muito mais coragem e dignidade do que escondê-los.”. pô, os planetas poderiam me poupar dessa, encarar ou esconder, tanto faz…

caminhei mais um pouco a procura de informação. como o que me apavora no momento é a presepada do inferno astral, fui ver do que se trata e do que seria possível fazer, caso fosse o caso, para amenizá-lo. adorei o que encontrei: “Inferno Astral é uma invenção do século XX. Não há registros desse termo em nenhuma parte da literatura astrológica.”. melhor assim, fico um pouco mais tranquila ao saber que pelos menos os astros não conspirarão contra.
mergulho no mês de março, salto sem rede, mês de aniversário.

quer comentar? não se acanhe.

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: