matéria acumulada

 
do outro lado do espelho vejo minha mãe
olhos no céu
queixo no horizonte
espinha ereta
no sumidouro encontro os olhos de minha mãe
tão verdes feito as esmeraldas
do velho anel,
felina na escuridão
a minha mãe está no reflexo que denuncia
sou vítima e algoz
heroína e sobrevivente
repelente e imortal
carrego os olhos de minha mãe
ela sou eu mesma
interestelar em difusão
mensagem confidencial

3 Comentários

quer comentar? não se acanhe.

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: