mundo tecnológico

já disse em outras oportunidades que tenho dificuldades no vasto mundo da tecnologia. meu aprendizado se dá na marra, ditado pela necessidade. quando preciso de algum recurso, aprendo; o que significa que sempre estou atrasada – a vida inteira a um passo atrás.

mas vou me virando, não sou exatamente uma topeira e o que preciso nem é lá tão complexo assim.

mas tem uma parcela neste mundo da tecnologia que me acaba e para a qual eu não consigo manter calma e habilidade por mais que me esforce. dois exemplos:

1. Prove que você não é um robô. imagine na vida real: você num bar, roda de amigos, chope vai, chope vem e de repente alguém tasca a frase num abraço meio bêbado. começaria aí uma viagem, provavelmente inglória, pelos filósofos do mundo, os pseudo-conhecimentos da existência, a religião, a criação do universo… mais chope na mesa, um prato de frango à passarinho e a conversa fatalmente acabaria em política. quando alguém da roda pedisse o primeiro destilado, a besteira estaria feita, em progresso e sem chance de recuo. insultos, loucuras, brigas, acusações. alguém se lembraria de uma frase dita por outro alguém da mesa em 1987, que levaria a outro assunto e que chegaria à inexplicável denúncia de que o Formiga beijou a mulher do Nelson no réveillon de 1999. nenhum robô, e a turma dividida.

2. Digite a sequência numérica localizada junto ao código de barras. gente, não é possível que o homem tenha pisado na lua há tanto tempo e ainda seja necessário tratar de um boleto bancário com a seriedade de tantos dígitos, que mais parecem a sequência do π, mas o Pi original, aquele da tricentésima casa decimal. e para pagar conta, ainda por cima. fosse um esforço necessário para o prazer eu até entenderia: digite aqui o código de barras, se você acertar toda sequência no tempo de dez minutos, nós enviaremos para sua casa uma bandeja de chocolate Godiva. aí tudo bem.
e os zeros? chega a ser obsceno, quase pornográfico, aquele amontoado de rodinhas uma atrás da outra sem diferença. saber quem é quem, esse é o segundo ou o terceiro zero?, é praticamente impossível. uma promiscuidade, não é humano, só consegue fazer isso direitinho quem é robô, mas pelo que andei vendo, eles, mais inteligentes, não perdem tempo com esse tipo de coisa.

quer comentar? não se acanhe.

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: