rosal

“a vida não passa de uma longa perda de tudo que amamos”, Victor Hugo.
todos os dias me despeço. de tudo. o anoitecer é o adeus ao dia, é o aumento da distância da infância, do primeiro amor, dos filhos pequenos.
o anoitecer é dizer mais uma vez, reafirmar de aceno, que aquele sorriso foi embora, que o brilho do olhar virou, que há um tempo a menos.
o anoitecer é encher o copo do presente com mais uma porção de passado – e como cabe passado em minha vida! meus dias são feitos de 96% de passado, o resto é perspectiva de futuro, esperança de chegada, fé em acontecimentos, viradas de mesa. a partir de tudo que vivi, vejo. é como colocar um disco novo na vitrola, sentar na poltrona e ouvi-lo; só consigo fazer isso porque um dia comprei o disco, a poltrona e paguei a conta de luz…
chego para me despedir do dia de hoje com todas essas malas entulhadas de mim mesma e daqueles que me cercam. e me despeço e carrego tudo mesmo assim. porque a vida só acontece a partir de como a lembro. a realidade mora bem do ladinho da ficção das minhas narrativas e de como e o que guardei de cada momento.
as vezes nem sei direito o que me aconteceu e o que colhi como fruto de ilusões. é o torvelino que mistura tudo, joga pra cima e deixa que os pedaços se espalhem pelo chão compostos por massa única que tem metade do corpo feita de verdade e outra de verdade inventada.
o anoitecer é o xis no calendário, o sublinhar na constatação de que não tenho mais esse dia pra viver e que mesmo assim ele insiste em mim. carrego-o comigo feito centopeia que encontra pés pelo caminho e mesmo sem precisar deles, precisa deles e os arrasta para o futuro.
as vezes me demoro numa longa despedida do que amo, porque é o jeito de me manter ao que não mais é ou está; forma de conexão invertida, sofrida e esquizofrênica, de fazer com que o passado seja presente. talvez seja aí, no limite, que eu amanheça e esse despertar me empurre para um novo tempo, uma nova hora, um novo pensamento, mas que desgraçadamente chegam cheios de ontem.

 

Uma resposta

  1. Suzie Franco

quer comentar? não se acanhe.

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: