além da ditadura da beleza

parece que estou a me tornar uma especialista em textos que não escreverei. uma nova proposta me chega através do cadastro num site de freelas: “criação de artigos para blog sobre: estética, treino, emagrecimento rápido, dicas de emagrecimento, etc.”.

raios, raios duplos!

vamos aos fatos, do maior para o menor. desde que as mulheres renascentistas saíram de moda, a humanidade se descabela atrás de soluções para curvas&tamanhos&pesos. cada nova onda que chega como ideal de beleza corta uns dez quilos e uns 20 centímetros das modelos. assistimos, nós mulheres, tudo isso como quem vê uma comédia romântica: tão bonitinho quanto improvável em nossos quotidianos fincados na realidade do DNA e das variações gastronômicas. será mesmo que logo eu teria a solução para a questão? acho pouco provável, já que sou entregue a dois grandes prazeres: a boa mesa, farta e variada (que gosta de palavras como bacon, chocolate e manteiga) e a preguiça (que inclui descanso, cama e esforço mínimo).

também tem uma outra coisinha, um movimento muito interessante a respeito da valorização estética de cada tipo começa a ganhar força. aplaudo e boto fé. precisamos todas sermos iguais? não, não precisamos. temos que pesar 40 quilos para sermos bonitas? não, não temos. a grande maioria tem curva, tem peitão, bunda, quadril, barriga. tem tamanho, opulência. e isso é esteticamente inviável só porque alguém disse, não precisamos concordar, aceitar, nos submeter. padrão estético. detesto a palavra padrão! as celulites existem, as estrias também, podemos não gostar delas, mas tenho como lema de vida não dar muita atenção a coisas que eu não gosto. desprezo-as. vivem na inutilidade do existir, sem me ferir ou me mover, sou mais que celulites e estrias não convidadas.

um outro impedimento para me alinhar ao tema proposto é a significativa ideia que tenho de beleza e bem estar: nada que demande muito sofrimento vale a pena nessas curtas horas que passamos no mundo. sou politicamente incorreta, vivo pelo prazer, não pelo sacrifício e acho que o que faz uma pessoa bonita é a felicidade – muitas vezes a felicidade está escondida em uma trufa Godiva.

claro, a saúde tem importância e só nesse quesito é que disciplino minhas aventuras errantes: como uma saladinha, caminho pela cidade, tento parar de tomar sorvete pela manhã, só por hoje.

à parte isso tenho em mim todos os sonhos do mundo: nata, goiabada e doce de leite.

quem não amou ver medidas de verdade e variadas no comercial da Dove?

quem não amou ver medidas variadas e de verdade no comercial da Dove?

quer comentar? não se acanhe.

Pin It on Pinterest

%d blogueiros gostam disto: